Blog da Jota

o-que-e-preciso-para-comprar-meu-imovel-proprio

3 minutos para ler

Comprar um imóvel próprio não é uma tarefa tão simples. O investimento é na maioria das vezes significativo, e é preciso disciplina para não criar uma dívida que não conseguirá pagar. Um bom planejamento financeiro é um excelente aliado de quem quer realizar o sonho da casa própria. Contudo, o mais importante é entender como o mercado funciona e aproveitar a melhor oportunidade, ou seja, aquela que cabe no seu bolso.

Para te ajudar a realizar o sonho da casa própria, esse artigo vai te guiar sobre as diversas etapas de aquisição de um imóvel. Confira:

Escolha o imóvel ideal

Antes de se preocupar com a papelada e o passo a passo de adquirir um imóvel próprio, é necessário saber o que procura. Essa é a hora de parar e pensar se você prefere casa ou apartamento? Um imóvel novo ou usado? Em qual região?

Todas essas variáveis influem no valor do imóvel. Portanto, é interessante encontrar um meio termo entre “tudo o que eu quero em um imóvel” e “aquilo que cabe no meu bolso”.

Além disso, é importante analisar a vizinhança, o acesso ao transporte público e visitar o local durante o dia e a noite. Afinal, se esse será o seu lar, é preciso que você se sinta confortável e conheça exatamente o que está comprando.

Tente diminuir o valor do financiamento

Conseguir comprar um imóvel à vista é extremamente difícil. Por isso,  a maioria acaba tomando crédito no banco, o financiamento é a forma mais fácil e comum de realizar o sonho da casa própria. Apesar dos juros, é possível tomar algumas atitudes para diminuir o valor financiado. Uma boa ideia é tentar dar uma entrada maior. Isso pode garantir parcelas mais baixas prazos menores e juros reduzidos.

Por isso, mesmo que você só pense em adquirir um imóvel próprio daqui a alguns anos, é importante se planejar. Afinal, os financiamentos duram por muitos anos. Isso torna a estabilidade financeira algo fundamental para assumir uma dívida tão longa. Ao se planejar financeiramente você economiza muito a longo prazo. Por isso, não deixe de economizar para dar entrada no seu financiamento. 😉

Escolha o tipo de financiamento e a instituição financeira certa

Na hora de fazer um financiamento, é preciso que sua documentação seja aprovada pelo banco.

O que nem todos sabem é que cada banco pratica taxas e condições diferentes de pagamento. Então, antes de aceitar o financiamento de primeira, compare as ofertas de cada banco. Assim, você economiza em juros, consegue descontos, e diminui o tempo de financiamento.

Outro detalhe importante é que existem dois tipos de financiamento. O Sistema de Amortização Constante (SAC) e a Tabela Price. Quem financia através do SAC começa pagando parcelas mais altas, mas com um valor decrescente. Assim, a dívida é abatida mais rapidamente e as parcelas ficam cada vez mais baratas até o fim do financiamento. Já quem opta pela Tabela Price paga um valor fixo em cada parcela, do início ao fim do financiamento.

Quem financia através do SAC começa pagando parcelas mais altas, mas com um valor decrescente. Assim, a dívida é abatida mais rapidamente e as parcelas ficam cada vez mais baratas até o fim do financiamento. Já quem opta pela Tabela Price paga um valor fixo em cada parcela, do início ao fim do financiamento.

Portanto, é preciso estudar todas as possibilidades e decidir qual opção é a melhor para o seu bolso. Também é importante lembrar que as duas opções reajustam os valores anualmente de acordo com o índice de inflação.

Vale a pena usar o FGTS?

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço é um direito de todo trabalhador com carteira assinada. Mensalmente, o empregador deposita em uma conta o equivalente a 8% do salário bruto do funcionário. Só é possível receber o benefício em algumas situações específicas:

  • Demissão sem justa causa
  • Rescisão do contrato por extinção total ou parcial da empresa
  • Aposentadoria
  • Falecimento do trabalhador
  • Compra de imóvel próprio
  • Liquidação ou amortização de dívida ou pagamento de parte das prestações de financiamento habitacional

Em muitos casos, vale a pena utilizar o FGTS para comprar seu imóvel. Além de diminuir o valor das parcelas, é possível fazer esse dinheiro render se o imóvel valorizar.

Aplicar essas dicas na sua vida é a forma mais rápida e segura de adquirir seu imóvel próprio. Gostou do artigo? Compartilhe-o em suas redes sociais!

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado

Quer saber mais sobre o
imóvel dos seus sonhos?

Enviar mensagem