Blog da Jota

condominio-fechado-ou-bairros-abertos

3 minutos para ler
 
Saiba qual tipo de vizinhança se encaixa no seu estilo de vida
Os bairros abertos sempre foram a tradição das moradias nas cidades brasileiras. Há algumas décadas, eles eram sinônimo de pouco movimento, segurança e um bom lugar entre os vizinhos. Isso fazia com que os condomínios fechados não fossem tão populares, que por sua vez estavam ao alcance de quem tinha melhor poder aquisitivo e estava em busca de privacidade.
As cidades cresceram e o cenário mudou:

  • Horas perdidas no trânsito
  • Falta de segurança
  • Excesso de barulho
  • Visível afastamento das pessoas

Tudo isso contribui para que muita gente opte por morar em condomínios fechados.
A correria da rotina traz uma necessidade de tranquilidade ao chegar em casa do trabalho. A família precisa de um espaço seguro para estar mais tempo junta, sem ter que se deslocar de um ponto a outro da cidade. Otimização é a palavra de ordem.
Quem pretende realizar o sonho da casa própria, muitas vezes se depara com a dificuldade em decidir por uma das opções. Para ajudar a escolher o melhor para você, listamos as diferenças entre bairros abertos e condomínios. Confira:

Liberdade

Este é um aspecto que depende muito do ponto de vista. Bairros abertos a depender do projeto não restringem as reformas dos imóveis, nem o número de visitantes que os moradores recebem – isso é fato. Porém, muitas vezes, também não oferecem a privacidade desejada.
Já para quem preza pela intimidade, os condomínios são ideais: visitantes só entram com a autorização de um morador. Isso diminui os riscos de segurança e visitas indesejadas. 

Custos

Há quem considere o valor do condomínio um aluguel vitalício e, por isso, passa-se a dar preferência aos bairros abertos. No entanto, o que muitos esquecem é que esses valores são referentes a custos de manutenção, equipamentos e serviços de segurança e lazer. Tudo é rateado mensalmente para manter o residencial nas melhores condições.
Quem mora em bairro aberto não tem a mensalidade do condomínio, mas também não conta com os itens do rateio. Ou seja, quando o imóvel precisar de manutenção, o valor pode ser alto e vir sem aviso prévio. A responsabilidade e a dor de cabeça é toda sua. 

Comércio e serviços

Antigamente, os bairros ofereciam acesso mais fácil a comércios e serviços próximos – farmácias, supermercados, padarias, bancos, entre outros. Hoje, os condomínios também contam com esta acessibilidade. Para proprietários de estabelecimentos comerciais, a grande concentração de moradores é vantajosa. A boa localização do empreendimento faz toda a diferença.

Segurança

Esse é um dos pontos mais fortes dos condomínios. Afinal, a maioria possui sistema de alarme, câmeras de segurança, zeladores e portaria. Tudo isso diminui consideravelmente o risco aos moradores e visitantes. No bairro aberto, a segurança do imóvel fica por conta do proprietário, como por exemplo arcar com monitoramento ou investir em sistemas de segurança.

Valorização

A valorização depende, principalmente, da área onde o imóvel está localizado e dos benefícios oferecidos ali. Por serem cada vez mais populares, os condomínios fechados têm sido construídos em locais com alta probabilidade de valorização. As construtoras fazem um mapeamento prévio com essa intenção bastante objetiva.

Condomínio fechado ou residenciais em bairros aberto?

Certamente não é fácil decidir, tendo em vista que existem vantagens e desvantagens em ambos os casos. É preciso analisar o seu estilo de vida e o que você procura em uma moradia. Só depois você poderá escolher o que mais se adequa ao seu jeito com mais assertividade. Depois deste artigo, você tende a preferir condomínio ou em residenciais em bairros abertos?

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado

Quer saber mais sobre o
imóvel dos seus sonhos?

Enviar mensagem